Blogs de Portugal

sexta-feira, 16 de junho de 2017

O que usaria e o que nunca na minha vidinha* #1

A pessoa está mega grávida mas com um bronze daqueles bonitos, onde só apetece ter programas para vestir roupas giras e sapatos comfortaveis. Depois a pessoa pensa que afinal os programas não podem ser muitos porque tem uma galinha em casa, acorda cedo e cheia de energia para o dia. Eu e o homem com este calor andamos a rastejar, e por nós eram banhos de piscina todo o dia para refrescar. 

Bem, mas a pessoa aqui continua a gostar de um programa a dois, coisa simples, jantar e um passeio curto, bem arranjada e de preferência com sapatos confortaveis. É que não tenho só de correr atrás de uma piolha de 2 anos e meio, ainda carrego uns kilos de barriga, como podem ver não anda fácil. Então ponho-me a pesquisar na zara sapatos que possa comprar ou tirar ideias de conjuntos para juntar os que já tenho. 

Encontrei 4 pares, dois usava num abrir e fechar de olhos, os outros dois NUNCA NA MINHA VIDINHA!!! Só se quisesse partir-me toda..... 

Aqui estão eles!!! 

Os que eu usaria:



Adoro branco e dourado em pés bronzeados... basta uns jeans, uma t shirt branca e uns sapatos destes para o look ficar simples mas cheio de estilo*

Os que NUNCA NA MINHA VIDINHA:



Não tenho palavras..... 

|crédito de imagem: zara 

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Miúdas minhas*

Nunca estamos preparadas para ver um filho crescer, olhamos e pensamos que vão ser bébes desprotegidos para sempre, a boa verdade é que precisam de autonomia desde muito cedo. Começa devagar, uns passos tímidos no chão a querer gatinhar, depois aumenta a velocidade e quando damos por isso já estão a andar. Oh já anda!!!! - a exclamação de alegria e amor vinda da nossa boca, mas que rapidamente passa. Depois vem o correr, nadar sozinha, a primeira de muitas festas de anos dos amigos, a primeira noite em casa da melhor amiga e puff, o nosso bébe desapareceu e deu lugar a uma criança/pré-adolescente que acha que sabe o que quer. 
Afinal vê-los crescer é maravilhoso, é único e estamos a adorar cada etapa, que passa cada vez mais depressa. Adoro mais por estar a fazê-lo em familia, juntos, com o apoio e equilíbrio que eles precisam (sim, há as acérrimas defensoras da amamentação, eu sou acérrima defensora da família (pai e mãe), cada um com a sua).
Olho para a minha bebe de dois anos e meio e é tão esperta, tão inteligente, tão crescida, fico tão orgulhosa da mãe que sou para ela e no ser humano que se transforma todos os dias. Este é o melhor desafio que temos na vida, e estou tão tão feliz por fazer parte dele* 



terça-feira, 13 de junho de 2017

Love for our new baby*

Quando nasce um bebe a primeira coisa que nos dizem é para termos cuidado com a cabeça. A moleirinha é uma zona muito sensível e está mole para facilitar a passagem dele na hora do parto. Nem queria acreditar, quando vi a da Mada e lhe toquei, pensei que se ia desfazer. Depois li, e percebi que a cabeça requer todo um cuidado enorme no primeiro ano de vida do bebe. Por isso mesmo tinhamos muita atenção na maneira como a pegavamos ao colo. Na hora de a deitar, confesso, nunca me lembro de ter pensado numa almofada ou algo so género para levantar a cabeça. A única coisa foi uma almofada com inclinação própria para por no berço, e assim o bebe dormir inclinado.

Segunda gravidez e toda uma nova descoberta para eles, vou encontrando coisas que desconhecia e algumas acho totalmente descartaveis, outras acho super uteis. 

Já falei de uma que gostei e comprei, o ninho, e agora falo da almofada que ajuda nas sestas do bebe, desde que nasce até aos 4 meses. 

Esta almofada foi criada e patentiada por um pediatra francês, chama-se Lovenest e é um protetor de cabeça ergonómico. A inclinação que tem e a sua forma garante uma repartição da pressão na cabeça do bebe, evitando que a cabeça achate. 

Achei muito interessante, não só pelos motivos aparentes, mas porque ajuda a manter a cabeça elevada, evitando a transpiração que pode levar a convulsões. 

Não tenho mais nada a acrescentar ao enxoval da baby F, se tivesse o homem provavelmente deixava de me falar durante dias.... acha que ja temos coisas suficientes, e além do lado prático que têm, conseguem sempre dizer que antes criavam-se crianças sem mariquices destas. É bem verdade, mas também vamos evoluindo e facilitar os pais e criar maior bem estar aos bebes/crianças. Se há coisas fúteis e superfulas? Claro que sim... rocas e mais rocas, fraldas de ombro, chupetas disto e daquilo, porta chuchas com fitas que rapidamente ficam feias com o uso (meti-me numa destas e desisti), entre outras. Mas também temos as boas, e acho esta uma delas. Vamos ver como corre e como a baby se adapta. Vivendo e aprendendo, e na maternidade quantos mais filhos tivessemos mais coisas iamos encontrando novas para nos facilitarem a vida. 



|crédito de imagem: eurekakids (site de onde mandei vir, têm outras cores, eu escolhi esta)*

Baby F, o teu enxoval está completo (ups...falta a banheira)!!! 


Sou só eu*

Quando leio sobre o meu signo, as duas palavras que aparecem sempre são rebelde e contestatária. Não me revejo numa rebelde, talvez me veja como alguém que quer viver intensamente o mundo mas sempre a pensar no futuro, agora contestatária sou um pouco... adoro desafiar o mundo e as pessoas com as suas ideias e opiniões, eu muitas vezes viro do avesso para puxar ainda mais. Não o faço com toda a gente, porque nem todas teriam cabeça para entender que é só uma maneira de trocar ideias. 

Esquecem-se de uma, impulsiva, talvez seja o maior defeito que tenho. Não penso, não tenho calma, não tenho serenidade, não tenho .... não sei... perco-me numa raiva que é minha, provocada por recalcamentos do passado. Acho que estou melhor, acho que melhorei muito, mas sinto que ainda me perco na mente. Pior que isso, é dizer o que não sinto, achando que me salvaguardo de sair magoada. A minha cabeça pensa tudo errado as vezes, e pior que isso só mesmo estando no 7o mes de gestação e ter as hormonas o mais descontroladas possiveis. Se isso é desculpa? Claro que não, mas entramos em transformações fisicas e psicologicas enormes, lembro me de ter passado isso quando estava grávida da Mada. 
Por vezes queria gritar com o mundo por uma qualquer frustração que nem sequer existia. Discuti muitas vezes com o homem, sem motivos racionais por coisas que nem me lembro. 

Acho que o meu cérebro pára, bloqueia, e quando volta baixa em mim uma magoa e dor enorme. Pelo que fiz, pelo que disse e principalmente por ter sido uma coisa que detesto. 

Sou das que tem medo, talvez por nunca achar que fosse grande coisa. Já o devo ter dito aqui algumas vezes, mas é um sentimento tão verdadeiro que me faz sentir uma mártir para com toda a gente. Tenho de deixar de ser assim, tenho de deixar de ter pena de mim, achar que só sirvo para que os outros fiquem melhor que eu. Caramba eu presto, eu sou boa no meu trabalho, sou boa como mãe e sou boa como mulher/esposa. Dou o meu melhor, faço por não falhar, e se a minha cabeça as vezes voa para onde não deve, tenho de parar de pedir desculpa e assumir que alguma coisa deve ser feita. A única que posso, tentar não repetir. Mas todos aqueles que ficam desiludidos, esquecem-se que eles mesmos fazem e têm atitudes que por vezes me dariam razões para ficar da mesma maneira que eles. Só que não fico, e não lamento, cada um é como cada qual. 

Tenho muita maturidade para adquirir, tenho muito a aprender e tenho muito a viver para o bem e o amor* 


Que esses estejam sempre sempre presentes* 


sexta-feira, 9 de junho de 2017

Ninho*

Queridas pessoas comprei o ninho, a bem dizer comprei algo útil (do meu ponto de vista) e deduzo que o pai só vai saber da existência dele quando vir a filha lá deitada!!! 

A pergunta que mais me tenho feito e algumas pessoas que sabiam que eu o queria comprar era se efetivamente nos iria fazer falta. Acho que sim, acho que o ninho tem um objetivo prático que vai na base de dar ao bebe a sensação de conforto e a onchego que sentia quando estava na barriga da mãe. Não acho que seja uma necessidade, mas como a baby vai herdar tudo o que era da irmã, decidi oferecer-lhe algo, e se tinha de investir, que fosse em alguma coisa que nos desse jeito. Confesso que li bastante sobre o ninho, pesquisei, procurei opiniões, e o feedback era mais positivo que negativo. Também avaliei o que passamos com a Mada, muita dificuldade em dormir no berço, acho que se sentia enorme e pouco segura. Acabavamos por coloca-la no i-feel da Chicco e fazia as melhores sestas. Para completar o ninho, só mesmo as maravilhosas fraldas de pano da zarahome. Investimento zero já que a irmã tem toda uma coleção delas. 

Acho delicioso ver as coisas passarem de uma para outra, acho também delicioso ver como nós pais mudamos de um filho para outro, e a descontração com que levamos certos pormenores que antes nos tiravam o sono. 

Acho que a baby F vai ter de mim e do pai pessoas mais experiêntes, mais preparadas, menos ansiosas e mais relaxadas. Vou sem dúvida aproveitar cada etapa dela sem a pressa que tive com a Mada, onde só queria que o tempo passasse para ver mais uma etapa concluída (nisso os homens são muito mais descontraidos). 

Ela vai herdar muitas coisas, vai aprender a partilhar porque nunca vai ter nada só dela, mas a sua maezinha fofinha queria dar-lhe algo, e este ninho minha baby é só teu. 

Espero que desfrutes* 

Quando ele chegar publico as fotos... por enquanto posso dizer que a loja escolhida foi a Coral Atelier!!!* 


quinta-feira, 8 de junho de 2017

Beach*

Verão é símbolo de sandes de atum com rodelas de tomate, bola de berlim depois do mergulho e espreitar as bolsas da mãe e tia... ups... isso era quando a miúda que havia em mim não tinha direito a nada daquilo. Pois que eu sonhava com a minha mala de praia, onde pudesse colocar a toalha, chinelos, bolsa com todos os apetrechos que tinha direito. Enquanto solteira foi magnífico, usava e abusava das quantidades e nunca eram demais. Depois a pessoa junta os trapos, tem filhos e percebe que andar carregada como quando tinha 20 já não é bem a mesma coisa. 

Cheguei a essa "triste" conclusão no fim de semana passado, fomos ao zoomarine e a malona de praia estava para lá de pesada. O homem estava a passar-se e se em vez de golfinhos fofinhos houvessem tubarões, estou certa que tinha sido atirada. A nossa bolsa de cremes pesava mais que o saco com as toalhas e a comida da miúda (tudo junto). Tinha 8 cremes nossos, 2 dela, e mais umas tretas lá enfiadas (e dinheiro... encontro sempre dinheiro nas bolsas de praia... incrível). 

Decidi que tinha de me organizar, e depois de elaborar todo um plano, eis que cheguei aos meus essenciais de praia para a família. 

- creme proteção +20 nívea (desculpem, não sou hipócrita a dizer que uso fator +50 quando nem lhe toco);
- óleo proteção (lol) +15 da pizz buin; 
- creme spray da yves rocher +50 para a Mada;
- creme mineral +50 da uriage para a Mada;
- água thermal em spray 
- compressas ou toalhetes
- escova de cabelo, uso a da Magic Coiffeur;

A juntar a isto, levamos sempre sombrinha, toalhas e muda de roupa de banho para pai e filha. Ah e claro, a panóplia de brinquedos que a Mada usa para fingir que contrói castelos e coisas na areia. 

Sinto que andamos sempre com a casa as costas, mesmo quando vamos para a praia... no entanto, é sempre tão mas tão bom ter o pé na areia❤️

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Já lá vão 27 semanas*

Estamos a voar, literalmente a voar, ainda não tinha dado conta mas os dias transformam-se rápido em semanas e a barriga além de aumentar, os sintomas de quem está a entrar no terceiro trimestre também começam a aparecer. 

Ao contrário da primeira gravidez (com estas semanas já estava de pausa no trabalho e a relaxar para desfrutar o último trimestre tranquila), desta não tenho nada preparado. Tenho a estranha sensação que tenho tempo e começo a pensar que afinal esse tempo não existe porque temos uma filha que nos retira atenção para nos prepararmos para a chegada da baby. 

Por acaso já consegui separar algumas roupas que eram da Mada, entre o tamanho 1 a 3 meses (não tenho nada zero), lavar e acabar por mistura-las com outras não lavas... resumindo, parece que vou lavar tudo de novo (ou não). A baby por ir nascer em dias mais quentes, não consigo aproveitar muito do que tenho e estou a organizar-me para ter pelo menos umas 10 mudas de roupa para os primeiros dias. Já nos ofereceram algumas e outras comprei. Mas sinto que me faltam pelo menos mais umas quantas (só para estar descansada). O resto vai-se comprando a medida que ela for crescendo. 

Também ja tenho a primeira roupa, e mais ou menos as roupas para a maternidade, a mala que vou levar é a da Mada e nesse campo estou mais tranquila. Também não tenho fraldas de pano e mantas para comprar porque tenho tudo. 

Mas... e como tudo tem um mas... falta-nos a mudança maior, o quarto delas. Neste momento estamos com a Mada a dormir na cama de grades (onde mal cabe) e queremos transitar tudo para um quarto maior onde as duas vão dormir. Esse quarto é a nossa sala de jantar e como tal, temos toda uma sala para desmontar, pintar, comprar móveis e organizar. Queremos tudo pronto antes dela nascer. 

De resto, bom já falei das roupas que me faltam, também tenho de mandar vir o ninho (depois digo qual a loja que optamos (optei)) e comprar a banheira com suporte. 

Parece me que tenho exactamente 13 semanas (tenho menos... ela não vai nascer as 40semanas, o calor e o fato de quase dúvidar que dê a volta inclinam-me para as 38-39sem) para coordenar isto tudo e esperar que corra tudo bem* há de correr... a segunda supostamente é mais fácil!!!